Legado aos filhos

Igreja no alto do monte, nas proximidades do Vale da Oratória em Socorro, no interior de São Paulo. (foto: Jean Tosetto)
Igreja no alto do monte, nas proximidades do Vale da Oratória em Socorro, no interior de São Paulo.

Há uns anos atrás, houve uma campanha publicitária realizada por um Banco Internacional através de Outdoors. Eis algumas das sentenças expostas:
“Crie filhos em vez de herdeiros.”
“Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela.”
“Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas.” 
“Trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas...” 
“Quem sabe assim você seja promovido a melhor amigo, pai, mãe, filho, filha, marido, esposa, irmão, ...etc, do mundo!”
“Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço.”

Pais responsáveis ensinam aos seus filhos que uma vida se faz com valores. Valores que permanecem. Valores brotados de princípios e não simplesmente de desejos. Tais princípios vêm do alto e quando vividos, nos fazem felizes. Sábios princípios civilizam. Desejos que escravizam, destroem.

A Bíblia Sagrada afirma:
“Para ser sábio, é preciso primeiro temer a Deus, o Senhor. Se você conhece o Deus Santo, então você tem compreensão das coisas”. 
“Eduque a criança no caminho em que deve andar, e até o fim da vida não se desviará dele”. 
“Procure respeitar e obedecer a Deus todos os dias da sua vida. Assim, o seu futuro será brilhante”. (Pv.9.10; 21.6; 23.14).

E em Ezequiel 47.12 lemos: “Darão frutas novas todos os meses, pois são regadas pelo rio que vem do Templo. As frutas servirão de alimento, e as folhas, de remédio”. Uma vida regada por estas águas tem folhas que não murcham e frutos que não caem. Alguns cristãos pensam que podem viver com alegria e de modo digno do Evangelho de Jesus sem a igreja. Até pode ser, mas é muito mais difícil! A participação no culto renova a energia da alma. A Igreja está ligada à Fonte. O cristão precisa da água deste rio que vem do Templo do Senhor. Até podemos beber da própria fonte, mas essa vertente logo se esgotará. Precisamos da igreja! E reunidos com ela, louvamos a Deus, confessamos, oramos, intercedemos, comungamos e somos instruídos na Palavra. É como alguém, sabiamente, assim se expressou: “Se a igreja é um monte, é lá que nos preparamos para a vida no vale.”

Que legado deixaremos para nossos filhos?

Estejamos sempre vigilantes perante as influências do mundo, que enfraquecem a família e o lar, e que desafiam a santidade da vida humana. Como pais cristãos e igreja que somos, continuemos influenciando a nova geração e desafiando-a a não só pensar de maneira cristã, mas também a agir para viver uma vida mais agradável a Deus.

- Pastor Alaor

Publicado originalmente no boletim informativo da CELC/SP - nº 390

Combustível

Bocal de abastecimento de combustível. (foto: Jean Tosetto)
Bocal de abastecimento de combustível.

Certamente muitos de nós já tivemos a desagradável surpresa de numa determinada viagem a trabalho ou a lazer, de repente o carro falhar, nos obrigando a parar no acostamento. E a surpresa maior ainda se dá quando se descobre que o motivo é: falta de combustível. Aos sintomas de mau humor e desmotivação vão sendo acrescentados sentimentos de angústia, insegurança, fraqueza e medo. Por esquecimento, imprudência, descuido, autoconfiança em alcançar o próximo posto, agora se está à beira da estrada à mercê de uma longa espera pelo guincho.

É, às vezes rodamos com o carro como se o combustível nunca fosse acabar. Deixamos de parar no posto e seguimos em frente, confiantes de que vai dar para chegar até o próximo. E eis que ele não aparece...

Na própria vida da gente acontece algo semelhante. Sentimo-nos livres e achamos que temos tudo o que precisamos dentro de nós, basta utilizarmos. Entretanto, também este “combustível” acaba. Pois, ninguém é autossuficiente. Todos nós precisamos parar para abastecer.

E isto pode ser feito de diversas formas. Por exemplo, frequentar a igreja é uma delas. Pode parecer simplório, limitado, ingênuo, porém, é exatamente o contrário. Porque não depende de nós, mas sim, do combustível. E este Deus dá de graça! Toda vez que formos à igreja - posto que oferece combustível sem adulteração e idôneo – receberemos energia e força para prosseguirmos firmes na jornada. Também há outras maneiras de nos abastecer da Palavra, seja em leituras domésticas ou em estudos bíblicos em grupo; mas numa igreja cristã vemos, ouvimos e sentimos coisas diferentes do que simplesmente ler um texto. Lá tudo alimenta: Palavra, Batismo, Santa Ceia, comunhão com os irmãos na fé.

Mas, por que abastecer tanto se dois ou três dias depois não nos lembramos mais do que ouvimos? Façamos um interessante paralelo com a comida: Você se lembra de cada refeição que fez há vinte ou trinta dias atrás? No entanto, você não deixou de ir regularmente à mesa e abastecer seu corpo com o combustível da vida - água e comida.

Pois o mesmo vale para a alma e para a fé. Paradas dominicais garantem constância para a corrida da semana e as bênçãos recebidas no Templo do Senhor nos motivarão a seguir em frente. E tudo isso sem nos preocupar com a quilometragem por litro. Este combustível é de graça, até o fim da estrada!

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor.” Sl.122.1

- Pastor Alaor

Publicado originalmente no boletim informativo da CELC/SP - nº 389