É hora de levantar

As situações difíceis já acontecidas neste primeiro semestre nas diversas áreas da vida humana leva muita gente a olhar para o futuro com certo pessimismo. E diante de tal realidade, não são poucos os que caem no desânimo e frustrados exibem um falso sorriso, tentando esconder as lágrimas da alma. Tal dilema os induz a desacreditar de tudo e, inclusive, de duvidar da própria misericórdia divina revelada no Cristo Salvador em favor de toda humanidade. Até certo ponto é natural esses conflitos na vida humana, mas não podemos deixá-los determinar se somos vencedores ou não. É determinante aceitar que nós não somos super-homens, nem autossuficientes, e então agarrar com fé a mão amorosa de Deus que sempre se mantem estendida para nos auxiliar a levantar.

O povo de Israel, mais uma vez, atravessava por momentos difíceis e a cidade de Jerusalém sofria sob a opressão duma iminente invasão pelo poderoso exército do rei da Assíria. Tudo isso era resultado dos seus ouvidos estarem fechados e surdos aos ensinamentos do Senhor. E este desprezo às profecias divinas levara o povo a se distanciar de Deus, idolatrando ídolos. Então o Senhor chamou o profeta Isaías para falar ao povo que Deus continuaria lhes enviando a Sua palavra de conselho e de correção, quer o povo ouça, quer deixe de ouvir. O profeta daí conclamou o povo a abandonar as trevas da desobediência e da corrupção e lhes garantiu que Deus os conduziria do desespero para a esperança, da escuridão para a luz. E o próprio povo de Israel haveria de se tornar sinal da presença de Deus e testemunha das promessas da vinda do Messias Salvador. Assim falou Isaías: “Levante-se, Jerusalém! Que o seu rosto brilhe de alegria, pois já chegou a sua luz! A glória do Senhor está brilhando sobre você. A terra está coberta de escuridão, os povos vivem nas trevas, mas a luz do Senhor está brilhando sobre você; sobre você aparece a glória de Deus.” (Is.60.1,2)

É tremendamente animador ouvirmos sempre de novo esta palavra e esta promessa do Senhor. Mesmo que não tenhamos vencido todos os obstáculos surgidos no passado, a palavra do Senhor é: “Levante-se”. Mesmo que há muita gente desanimada e muitos caídos por aí que não estão olhando para cima e deixando de colocar-se sob os cuidados amorosos de Deus, nós como cristãos devemos testemunhar e dar exemplo de uma fé firme em Cristo Jesus e de nossa absoluta confiança no cumprimento das promessas do Senhor.

Por isso, coloquemo-nos de pé e prossigamos firmes e convictos de que, com Cristo, seremos sempre vencedores. Não é hora de desanimar. Não é hora de sentar. Não é hora de desistir. Não é hora de deixar de orar, louvar e testemunhar. É hora de levantar! É hora de deixar a glória de Deus agindo na nossa vida.

Portanto, caro cristão, levante-se, receba e reparta as bênçãos de Jesus! E que Deus Pai nos ajude a permanecermos fortes diante das contrariedades da vida. Que o Salvador Jesus Cristo nos perdoe quando fraquejamos e nos ajude a levantar. E que o Espírito Santo seja Luz que resplandeça sobre nós, dissipando as trevas e iluminando nosso caminho. Que este Deus Triúno nos conserve sempre fieis a Ele, prontos para adorá-lo e servi-lo, convictos da promessa de um dia habitarmos na glória eterna.

- Pastor Alaor Güths dos Santos

Publicado originalmente no boletim "Notícia e Informações da Igreja Luterana de Moema" nº11 em julho de 2018.


A viagem é tão curta

A viagem é tão curta

Uma jovem estava sentada num transporte público quando uma senhora, mal-humorada e idosa, veio e sentou-se ao lado dela batendo-lhe com suas numerosas sacolas. Uma pessoa sentada do outro lado ficou injuriada com a situação e perguntou à moça por que ela não reclamou ou disse algo para a velha senhora!

A moça respondeu com um sorriso: - Não é necessário ser grosseira ou discutir sobre algo tão insignificante, a jornada juntos é tão curta... Já desço na próxima parada!

Esta resposta merece ser escrita em letras douradas no nosso comportamento diário em toda a parte! Não é necessário discutir sobre algo tão insignificante, nossa jornada juntos é tão curta!

Oh! Se cada um de nós pudesse perceber que a nossa passagem por cá tem uma duração tão curta! Por que escurecê-la com brigas, argumentos fúteis, não perdoando os outros, com ingratidão e atitudes ruins?! Isto seria um grande desperdício de tempo e energia!

Alguém quebrou seu coração? - Fique calmo, a viagem é tão curta... Alguém lhe traiu, intimidou, enganou ou humilhou você? – Fique calmo, perdoe, a viagem é tão curta... Qualquer sofrimento que alguém nos provoque, vamos lembrar que a nossa jornada juntos é tão curta...

Portanto, sejamos cheios de gratidão e doçura. A doçura é uma virtude nunca comparada ao caráter ou covardia, mas melhor comparada à grandeza. Nossa jornada juntos aqui é muito curta e não pode ser revertida... Ninguém sabe a duração da sua jornada. Ninguém sabe se terá de descer na próxima parada... Vamos, portanto, acalentar e manter a doçura e amabilidade com os amigos e familiares! Vamos tentar nos manter calmos, respeitosos, gentis, gratos e perdoar uns aos outros. Se eu te machuquei, peço perdão. E lembre-se: A viagem aqui é tão curta!

Fidelidade e confiança em Deus

"Bendito o homem que confia no SENHOR, e cuja confiança é o SENHOR." - Jeremias 17.7

Paulo, prisioneiro pela segunda vez em Roma, sente que tem pouco tempo ainda na terra. Daí escreve ao seu jovem companheiro de missão, prevendo o seu martírio. Nem por isso, manifesta qualquer queixa ou lamento. Via-se perseguido e abandonado pelos homens, mas jamais se sentia abandonado por Deus. E manifestando sua fidelidade e confiança no Senhor, afirma em sua Segunda Carta a Timóteo, capítulo 4, versículo 18: “O Senhor me livrará de todo o mal e me levará em segurança para o seu Reino celestial. A ele seja dada a glória para todo o sempre! Amém.”

O apóstolo consegue olhar para o futuro com tamanha confiança em virtude de sua fé estar bem alicerçada no Deus que o tem acompanhado e se mostrado bem real em sua vida. Apesar de tudo o que teve de enfrentar no seu ministério pastoral - açoites, apedrejamentos, prisões, naufrágios e períodos sem comida e água - Paulo sabe que pode e deve confiar no Senhor, pois algo incomparavelmente melhor o aguarda. Seu sofrimento presente será redimido. O Deus de amor, que por obra do Espírito Santo lhe revelou o Salvador Ressuscitado, há de lhe amparar, fortalecer e socorrer, sejam quais forem as circunstâncias.

E realmente sua vida se aproxima do fim. Paulo, então, preocupa-se em exortar Timóteo para a necessidade de ousadia perante os sofrimentos. Escreve-lhe aconselhamentos que ficaram registrados como um legado a ser transmitido a outros homens fieis e também capazes de ensinar e testemunhar da salvação que há em Cristo.

Por providência divina esses ensinamentos chegaram até nós e hoje nos servem de orientação e encorajamento na vida, estimulando-nos a permanecer fieis no caminho do Senhor e humildes e obedientes à sua Santa Vontade. Obviamente, todos nós temos consciência da brevidade dessa vida terrena e que, mais dia menos dia, também partiremos desse mundo. E, sem dúvida, nosso desejo é usufruir o prêmio da vitória que Jesus por nós conquistou na cruz do Calvário e a confirmou com a sua triunfante ressurreição. É fato, nossa fé não será vã!

Que este exemplo de fidelidade e confiança em Deus que o apóstolo Paulo nos legou seja marcante em nossa vida comprometida com o Senhor!

Oração: Misericordioso Deus e Pai, reconheço que minha fé é fraca e minha coragem perante a brevidade da vida desfalece muitas vezes. Perdoa-me! Por Teu Santo Espírito, encoraja-me diante das provações e fortalece minha esperança de viver contigo eternamente. Em nome e por amor de Jesus, meu Salvador. Amém.

- Pastor Alaor Güths dos Santos

Publicado originalmente no boletim "Notícia e Informações da Igreja Luterana de Moema" nº10 em junho de 2018.