Combustível

Bocal de abastecimento de combustível. (foto: Jean Tosetto)
Bocal de abastecimento de combustível.

Certamente muitos de nós já tivemos a desagradável surpresa de numa determinada viagem a trabalho ou a lazer, de repente o carro falhar, nos obrigando a parar no acostamento. E a surpresa maior ainda se dá quando se descobre que o motivo é: falta de combustível. Aos sintomas de mau humor e desmotivação vão sendo acrescentados sentimentos de angústia, insegurança, fraqueza e medo. Por esquecimento, imprudência, descuido, autoconfiança em alcançar o próximo posto, agora se está à beira da estrada à mercê de uma longa espera pelo guincho.

É, às vezes rodamos com o carro como se o combustível nunca fosse acabar. Deixamos de parar no posto e seguimos em frente, confiantes de que vai dar para chegar até o próximo. E eis que ele não aparece...

Na própria vida da gente acontece algo semelhante. Sentimo-nos livres e achamos que temos tudo o que precisamos dentro de nós, basta utilizarmos. Entretanto, também este “combustível” acaba. Pois, ninguém é autossuficiente. Todos nós precisamos parar para abastecer.

E isto pode ser feito de diversas formas. Por exemplo, frequentar a igreja é uma delas. Pode parecer simplório, limitado, ingênuo, porém, é exatamente o contrário. Porque não depende de nós, mas sim, do combustível. E este Deus dá de graça! Toda vez que formos à igreja - posto que oferece combustível sem adulteração e idôneo – receberemos energia e força para prosseguirmos firmes na jornada. Também há outras maneiras de nos abastecer da Palavra, seja em leituras domésticas ou em estudos bíblicos em grupo; mas numa igreja cristã vemos, ouvimos e sentimos coisas diferentes do que simplesmente ler um texto. Lá tudo alimenta: Palavra, Batismo, Santa Ceia, comunhão com os irmãos na fé.

Mas, por que abastecer tanto se dois ou três dias depois não nos lembramos mais do que ouvimos? Façamos um interessante paralelo com a comida: Você se lembra de cada refeição que fez há vinte ou trinta dias atrás? No entanto, você não deixou de ir regularmente à mesa e abastecer seu corpo com o combustível da vida - água e comida.

Pois o mesmo vale para a alma e para a fé. Paradas dominicais garantem constância para a corrida da semana e as bênçãos recebidas no Templo do Senhor nos motivarão a seguir em frente. E tudo isso sem nos preocupar com a quilometragem por litro. Este combustível é de graça, até o fim da estrada!

“Alegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor.” Sl.122.1

- Pastor Alaor

Publicado originalmente no boletim informativo da CELC/SP - nº 389

A barba do Pastor

Percebendo que uma parte de seus congregados não prestava atenção aos seus sermões e, consequentemente, a mensagem caia no vazio, um pastor resolveu dar uma lição inesquecível aos seus ouvintes. Num culto dominical ele subiu ao púlpito com seu aparelho de barbear, bacia, água, espuma, caneca, espelho e toalha. Tranquilamente ajeitou tudo, passou espuma na cara e começou a se barbear. Gastou os minutos reservados ao sermão, os quais pareceram uma eternidade para os presentes. E quando todos esperavam que o pastor fosse fazer um desfecho maravilhoso e fosse apontar a “moral da história”, ele simplesmente enxugou o rosto, encerrou o culto e despediu o povo de volta às suas casas. Aquela semana foi atípica, com o povo diariamente comentando o ocorrido e tentando adivinhar o significado e/ou simbolismo de tudo aquilo.

A barba do pastor (foto: Jean Tosetto)

No domingo seguinte a igreja estava cheia, todos curiosos e atentos. O pastor foi ao púlpito, olhou fixamente para a congregação, e falou: “Sei que vocês querem uma explicação acerca do que fiz no domingo passado. Pois bem, na verdade, não há mensagem alguma em especial. Mas, se podemos tirar alguma lição disso tudo, a lição é a seguinte: Há anos venho apresentando a vocês a mensagem bíblica, mas não tenho percebido nenhuma mudança em suas vidas. Minhas mensagens têm caído no esquecimento, tão logo vocês saem do templo. Eu gostaria que vocês comentassem meus sermões durante a semana, do mesmo modo que vocês se dispuseram a comentar o meu barbear nestes últimos dias. Ou será que a minha barba é mais importante para vocês do que a Palavra de Deus?”

Em Romanos 10.17 lemos: “Portanto, a fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo.”

O que nós temos feito com aquilo que temos ouvido da parte de Deus? Somente as palavras guardadas em nosso coração é que poderão nos ajudar a evitar a desobediência a Deus. A Palavra do Senhor Deus é o nosso “maná” especial. A Palavra de Deus é o nosso maior alimento para nos deixar fortes e corajosos diante das provações da vida. E as verdades bíblicas deveriam ser o motivo principal de nossas conversas durante a semana. Quanto mais repetirmos o assunto, tanto mais gravado ficará em nossa mente.

Fiquemos atentos à Palavra do Senhor nosso Deus e façamos uso dela em nossa vida diária, em vez de passar os dias comentando aquilo que nada edifica.

- Pastor Alaor

Publicado originalmente no boletim informativo da CELC/SP - nº 388