Você tem tudo?

Não é o que você é, o que você tem, onde está ou o que faz, que determinará a sua felicidade. Mas o que você pensa sobre isto

Certo dia, um pai de família, famoso e rico empresário, convidou seu filho para viajar até um lugarejo com o propósito de mostrar o quanto as pessoas podem ser pobres. Seu objetivo era convencer o filho da necessidade de valorizar os bens materiais que possuía e o prestígio social, pois o pai queria incutir desde cedo estes valores para seu herdeiro. Eles ficaram um dia e uma noite numa pequena casa de barro, de um morador da fazenda do seu primo.

Quando retornaram da viagem, o pai perguntou ao filho: - “E aí, meu filho, como foi a viagem para você?” - “Muito boa, papai!”, foi a resposta. – “Você viu a diferença entre viver com riqueza e viver na pobreza?”, indagou o pai. – “Sim, pai!”, retrucou o filho, pensativamente. – “E o que você aprendeu com tudo o que viu lá naquele lugar tão paupérrimo?” - O menino respondeu: “É pai, eu vi que nós temos só um cachorro em casa e eles têm quatro. Nós temos uma piscina que ocupa o meio do jardim, eles têm um riacho que não tem fim. Nós temos uma varanda coberta e iluminada com lâmpadas de Led e eles têm as estrelas e a lua no céu. Nosso quintal vai até o portão de entrada e eles têm uma floresta inteirinha. Nós temos alguns canários numa gaiola, eles têm todas as aves que a natureza pode oferecer-lhes, soltas. E além do mais, papai, observei que eles oram a Deus antes das refeições, enquanto que nós em casa sentamos à mesa falando de negócios, lucros, eventos sociais, daí comemos, empurramos o prato e pronto. No quarto onde fui dormir com o primo, passei vergonha, pois eu não sabia nenhuma oração, enquanto que ele se ajoelhou e agradeceu a Deus por tudo, inclusive pela nossa visita na casa deles. Lá em casa vamos ao quarto, deitamos e dormimos, sem sequer nos despedirmos. Outra coisa, papai, dormi na rede do primo, enquanto que ele dormiu no chão, pois não havia uma rede para cada um de nós. Na nossa casa colocamos a nossa empregada para dormir naquele quarto onde guardamos entulhos, sem nenhum conforto, apesar de termos camas macias e cheirosas sobrando.”

Conforme o menino foi falando, seu pai ficava cada vez mais chocado, sem graça e totalmente envergonhado. O seu filho na sua sábia ingenuidade e no seu brilhante desabafo, levantou-se, abraçou o pai e ainda acrescentou: - “Obrigado, papai, por me haver mostrado o quanto nós somos POBRES!”

Essa história nos faz lembrar palavras de Jesus no seu Sermão do Monte, quando o Salvador ensinou sobre a verdadeira felicidade: “Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres... Felizes as pessoas humildes... Felizes as pessoas que têm misericórdia dos outros...” (Mt. 5.1ss).

Não é o que você é, o que você tem, onde está ou o que faz, que determinará a sua felicidade. Mas o que você pensa sobre isto! Tudo o que você tem, depende da maneira como você olha e da maneira como você valoriza. Se você tem a fé no perdão e salvação que Cristo lhe oferece, amor a Deus e ao próximo, e sobrevive nesta vida com dignidade, retidão e humildade, tendo atitudes positivas, partilhando com benevolência seus dons e talentos, então... VOCÊ TEM TUDO!

- Pastor Alaor Güths dos Santos

Publicado originalmente no boletim "Notícia e Informações da Igreja Luterana de Moema" nº12 em agosto de 2018.

É hora de levantar

As situações difíceis já acontecidas neste primeiro semestre nas diversas áreas da vida humana leva muita gente a olhar para o futuro com certo pessimismo. E diante de tal realidade, não são poucos os que caem no desânimo e frustrados exibem um falso sorriso, tentando esconder as lágrimas da alma. Tal dilema os induz a desacreditar de tudo e, inclusive, de duvidar da própria misericórdia divina revelada no Cristo Salvador em favor de toda humanidade. Até certo ponto é natural esses conflitos na vida humana, mas não podemos deixá-los determinar se somos vencedores ou não. É determinante aceitar que nós não somos super-homens, nem autossuficientes, e então agarrar com fé a mão amorosa de Deus que sempre se mantem estendida para nos auxiliar a levantar.

O povo de Israel, mais uma vez, atravessava por momentos difíceis e a cidade de Jerusalém sofria sob a opressão duma iminente invasão pelo poderoso exército do rei da Assíria. Tudo isso era resultado dos seus ouvidos estarem fechados e surdos aos ensinamentos do Senhor. E este desprezo às profecias divinas levara o povo a se distanciar de Deus, idolatrando ídolos. Então o Senhor chamou o profeta Isaías para falar ao povo que Deus continuaria lhes enviando a Sua palavra de conselho e de correção, quer o povo ouça, quer deixe de ouvir. O profeta daí conclamou o povo a abandonar as trevas da desobediência e da corrupção e lhes garantiu que Deus os conduziria do desespero para a esperança, da escuridão para a luz. E o próprio povo de Israel haveria de se tornar sinal da presença de Deus e testemunha das promessas da vinda do Messias Salvador. Assim falou Isaías: “Levante-se, Jerusalém! Que o seu rosto brilhe de alegria, pois já chegou a sua luz! A glória do Senhor está brilhando sobre você. A terra está coberta de escuridão, os povos vivem nas trevas, mas a luz do Senhor está brilhando sobre você; sobre você aparece a glória de Deus.” (Is.60.1,2)

É tremendamente animador ouvirmos sempre de novo esta palavra e esta promessa do Senhor. Mesmo que não tenhamos vencido todos os obstáculos surgidos no passado, a palavra do Senhor é: “Levante-se”. Mesmo que há muita gente desanimada e muitos caídos por aí que não estão olhando para cima e deixando de colocar-se sob os cuidados amorosos de Deus, nós como cristãos devemos testemunhar e dar exemplo de uma fé firme em Cristo Jesus e de nossa absoluta confiança no cumprimento das promessas do Senhor.

Por isso, coloquemo-nos de pé e prossigamos firmes e convictos de que, com Cristo, seremos sempre vencedores. Não é hora de desanimar. Não é hora de sentar. Não é hora de desistir. Não é hora de deixar de orar, louvar e testemunhar. É hora de levantar! É hora de deixar a glória de Deus agindo na nossa vida.

Portanto, caro cristão, levante-se, receba e reparta as bênçãos de Jesus! E que Deus Pai nos ajude a permanecermos fortes diante das contrariedades da vida. Que o Salvador Jesus Cristo nos perdoe quando fraquejamos e nos ajude a levantar. E que o Espírito Santo seja Luz que resplandeça sobre nós, dissipando as trevas e iluminando nosso caminho. Que este Deus Triúno nos conserve sempre fieis a Ele, prontos para adorá-lo e servi-lo, convictos da promessa de um dia habitarmos na glória eterna.

- Pastor Alaor Güths dos Santos

Publicado originalmente no boletim "Notícia e Informações da Igreja Luterana de Moema" nº11 em julho de 2018.


A viagem é tão curta

A viagem é tão curta

Uma jovem estava sentada num transporte público quando uma senhora, mal-humorada e idosa, veio e sentou-se ao lado dela batendo-lhe com suas numerosas sacolas. Uma pessoa sentada do outro lado ficou injuriada com a situação e perguntou à moça por que ela não reclamou ou disse algo para a velha senhora!

A moça respondeu com um sorriso: - Não é necessário ser grosseira ou discutir sobre algo tão insignificante, a jornada juntos é tão curta... Já desço na próxima parada!

Esta resposta merece ser escrita em letras douradas no nosso comportamento diário em toda a parte! Não é necessário discutir sobre algo tão insignificante, nossa jornada juntos é tão curta!

Oh! Se cada um de nós pudesse perceber que a nossa passagem por cá tem uma duração tão curta! Por que escurecê-la com brigas, argumentos fúteis, não perdoando os outros, com ingratidão e atitudes ruins?! Isto seria um grande desperdício de tempo e energia!

Alguém quebrou seu coração? - Fique calmo, a viagem é tão curta... Alguém lhe traiu, intimidou, enganou ou humilhou você? – Fique calmo, perdoe, a viagem é tão curta... Qualquer sofrimento que alguém nos provoque, vamos lembrar que a nossa jornada juntos é tão curta...

Portanto, sejamos cheios de gratidão e doçura. A doçura é uma virtude nunca comparada ao caráter ou covardia, mas melhor comparada à grandeza. Nossa jornada juntos aqui é muito curta e não pode ser revertida... Ninguém sabe a duração da sua jornada. Ninguém sabe se terá de descer na próxima parada... Vamos, portanto, acalentar e manter a doçura e amabilidade com os amigos e familiares! Vamos tentar nos manter calmos, respeitosos, gentis, gratos e perdoar uns aos outros. Se eu te machuquei, peço perdão. E lembre-se: A viagem aqui é tão curta!